quarta-feira, 26 de abril de 2017

Porque não sou muçulmano

Um pouco sobre o Islã

Há muito tempo atrás no meu canal, um amigo meu que acompanhava meus estudo me disse que devido aos meus estudos estava pensando em se converter ao Islã. Isso porque por incrível que pareça meus estudos tem pontos semelhantes com a teologia Islamica e eu não nego isso, como por exemplo a não crença em uma trindade, no apostolado de Paulo ou em um Jesus divino. Na verdade qualquer pessoa que estudar as escrituras perceberá que jesus nunca se disse Deus ou uma segunda pessoa pessoa de uma trindade. E nisso eu concordo com os muçulmanos.

E muitas pessoas me perguntam o porque então eu não sou ou não me converto ao Islamismo, afinal, temos pontos teológicos semelhantes. Eu até admiro a profunda fé dos muçulmanos e seu monoteísmo. Aliás, para quem não sabe, um judeu pode orar em uma mesquita muçulmana já um cristão não, e isso de acordo com ambas as religiões, judaísmo e Islamismo. Porque ambos são monoteístas. Os cristãos são considerados idólatras por ambos, porque veneram um homem como se fosse Deus, Jesus.

Só que apesar de pontos em comum eu tenho bem mais diferenças ideológicas com o Islã que semelhanças. E o principal ponto de discordância com o islamismo é justamente o fato de não se poder falar do islamismo. O Islã geralmente abomina qualquer tipo de critica a sua religião e dependendo da critica e do tom pode ser perigoso inclusive. Por isso eu jamais seguiria uma religião que se considera uma revelação divina mas não consegue contra argumentar criticas e refutações sem ser com violência.

Eu não vejo lógica em um Deus que precisa de suas criaturas para se defender, ou que tenha transmitido uma palavra divina mantida pelo medo e intimidação. Milhares de pessoas no mundo criticam jesus e os profetas e essas religiões não diminuem por isso e nem precisam que seus membros cometam atos extremistas para defende-los. Então a primeira coisa que o Islã deveria re-avaliar é isso. Vide por exemplo o canal de humor porta dos fundos, que vira e mexe satiriza os personagens bíblicos e Jesus. Os cristãos xingam e xingam mas não vai além disso. Uma revelação divina pela lógica se sustentaria por sí só.

Um ateu famoso Americano, Bill Washer se não me engano, disse uma vez que o Deus dos muçulmanos torna-se fraco por precisar que suas criaturas o defendam, ou, que façam o trabalho sujo. Como exemplo ele disse que é ateu e que seu Deus é a ciência. E o seu deus ciência diz que se você pular de um prédio você vai morrer. Ninguém precisa acreditar no deus ciência e os ateus não precisam matar ninguém por isso, basta a pessoa que não acredita nesse deus o por a prova e pular de um prédio que o próprio deus ciência mostrará que existe. Simples!

Fora que os muçulmanos alegam que seguem apenas Deus, que no caso eles chamam de Alah, e que Moisés, Elias, jesus etc... foram apenas profetas, homens mortais como eu e você que apenas foram escolhidos por Deus para transmitir sua palavra, assim como Mohamed. E nisso eu concordo com eles também. Mas quando alguém fala algo do profeta Mohamed todos sabem como ele reagem!  Ué? Se Maomé como nós chamamos, foi apenas um profeta como os demais, porque eles ficam tão irados ao ponto de matar quem falar mal do profeta? Isso não seria idolatrar o profeta?

Eu nunca vi um judeu matando ninguém por falar de Moisés, e se algum dia algum judeu fizesse isso ele seria considerado idólatra pelo judaísmo, por ter tirado uma vida para defender um mero mortal, Moisés! Por mais que Moisés tenha sido um grande profeta, ele foi apenas um mensageiro de Deus, não Deus, portanto, passível de criticas como qualquer ser humano. Já Mohamed que os muçulmanos dizem também ter sido apenas um mensageiro de Deus, é tratado quase como um deus ao ponto deles matarem quem o critica. Isso não seria idolatria?

O mesmo profeta disse ou citou em suas sutras que o islã deveria ser protegido e que os infiéis que falassem contra o Islã deveriam ser mortos. Isso nós não vemos nos demais profetas, como Jesus ou Moisés por exemplo. E Eu digo citou porque segundo a tradição Maomé foi analfabeto e quem teria escrito as sutras do Alcorão foi um de seus seguidores enquanto Maomé ditava.

O alcorão diz que os muçulmanos devem seguir e respeitar os que vieram antes deles, se referindo aos profetas e Jesus. Tanto que o alcorão fala mais de Jesus que de Maomé. Mas o que os profetas ensinaram e Maomé são coisas antagônicas o que torna difícil iguala-los teologicamente. Jesus por exemplo disse para amar os inimigos e dar a outra face o que não vemos no alcorão. Tanto Jesus quanto Moisés disseram para amar ao próximo como a sí mesmo. Já o alcorão discrimina e inferioriza os infiéis chegando ao ponto de demoniza-los. cada vez por exemplo que acontece um atentado extremista em algum País Europeu, muçulmanos seculares mesmo de vários Países comemoram e celebram a morte de infiéis. Então essa mensagem é antagônica a dos profetas anteriores.

Jesus por exemplo, em sua mensagem, ainda que muitos cristãos não saibam disso, muita coisa que ele disse ele apenas extraiu do velho testamento, como amar ao próximo por exemplo que esta em levitico 19. Portanto, por mais que Jesus tenha trazido uma mensagem nova, nós encontramos muitas semelhanças entre seus ditos e dos profetas judeus anteriores. Já na mensagem de Mohamed não. O velho testamento por exemplo, manda os judeus tratar bem os estrangeiros que peregrinarem em sua terra, pois eles foram escravos no Egito, e isso é uma das leis da Torá. Já o Alcorão exige que os muçulmanos cobrem um imposto obrigatório dos não-muçulmanos que não se convertem ao islã. Em praticamente todos Países muçulmanos existem conflitos e perseguições a minorias que não são muçulmanas.

Os profetas anteriores também disseram que o período dos profetas teria um fim. O próprio Jesus disse isso algumas vezes quando disse por exemplo: "A lei e os profetas até João" ou "Se alguém vier em meu nome dizendo Cristo me  enviou, não creiais" sinalizando o fim do período profético. Então como eles explicam o fato do profeta Mohamed ter surgido no século VI bem depois do período dos profetas?

Fora as contradições escriturísticas como o fato do alcorão dizer que Maria a mãe de Jesus se chamava Mirian e era irmã de Arão. A Miriam irmã de Arão era na verdade a irmã de Moisés. Então de alguma forma eles confundiram os personagens. Fora que os muçulmanos adoram citar os mitos do cristianismo mas no alcorão é dito que Mirian engravidou virgem, o que nós sabemos que também é um mito romano.

O Islã se gaba atualmente de ser a religião que mais cresce no mundo, estando a superar inclusive os cristãos. Mas também, uma religião que não permite sob hipótese nenhuma apostasia punindo com a morte, é até natural que ela cresça. O alcorão condena a morte quem deixa o islã. Um muçulmano não pode se tornar ateu por exemplo, ou se converter a outra crença a não ser que fuja para um outro país, porque senão é expulso da família, perseguido e em muitos casos morto. Isso faz do islã não apenas uma religião mas uma organização extremamente perigosa.

Jesus disse no novo testamento a chamada regra de ouro que é um preceito antigo tanto do judaísmo quanto de outros povos que diz : "Não faça aos outros o que não gostaria que fizesse a vós" condenou também o "dois pesos e duas medidas", portanto jesus e os profetas exigiam justiça. De fato o Islã também fala de justiça e exige que sejam feitos tribunais para pratica-las, as Sharias. Mas na prática esse conceito é apenas parcial no islã. Por exemplo: Muçulmanos exigem o direito de terem suas mesquitas em Países não-Islamicos e geralmente são atendidos por isso. Mas não permitem igrejas em seus Países e os poucos que permitem como o Egito por exemplo, que é um País mais ocidentalizado, essas igrejas constantemente sofrem ataques.

Como vemos o senso de justiça não é imparcial. Muçulmanos permitem que homens se casem com mulheres não-muçulmanas porque podem converte-las e aos filhos, mas não permitem que uma mulher muçulmana se case com um não muçulmano porque temem que ela se desconverta. Em suas preces públicas como na Árabia eles clamam a morte dos infiéis, mas vivem brigando contra o que eles chamam atualmente de Islamofobia em Países não muçulmanos, sendo que em nenhum País não-muçulmanos as pessoas pedem a morte de muçulmanos.

Então o Islã segue dois pesos e duas medidas. A justiça para eles só é justiça se beneficia eles mesmos. Por exemplo, uma mulher muçulmana que visita qualquer País tem que usar um véu porque é parte de cultura deles, ok. Mas uma mulher não muçulmana que visita seus Países não pode deixar de usar o véu e dane-se a cultura do povo dessa mulher.

O islã alega ser uma religião de paz e que existe apenas uma minoria extremista que envergonha o nome da religião. Mas na verdade é estranho uma religião de paz ter um livro sagrado que pede a morte de infiéis em várias sutras, prometendo inclusive virgens nos céus para quem matar os infiéis. O Islã historicamente nunca conviveu em paz com nenhuma religião vizinha e não estou falando apenas dos cristãos. Judeus, Hindus e Budistas até hoje se defendem e muito nas fronteiras com muçulmanos porque já foram historicamente atacados por estes. Até os monges budistas no Tibet, que são referência mundial de paciência e auto-controle atualmente exortam seus seguidores a praticarem defesa pessoal para se protegerem dos muçulmanos que sempre os atacam. A Índia é um dos países do mundo que mais investe em armamentos bélicos devido aos ataques dos vizinhos Paquistaneses que já ocasionaram várias guerras inclusive.

O Islã mais que uma religião, tem por objetivo a dominação global. O alcorão mesmo promete que um dia todo o planeta vai ser islamizado e todo muçulmano luta por isso. O sonho do islã é ver implementada a Sharia no mundo todo.

Na Indonésia por exemplo, era um País simples e de religião tribal até que o rei permitiu que um pequeno grupo de muçulmanos fizesse sua primeira mesquita. Em poucos anos eles foram convertendo todo mundo e forçando outros a conversão gerando ondas violentas de conflitos até que essa ilha se tornou o País com o maior número de muçulmanos do mundo. Só uma pequena parte vive isolada e mesmo assim protegida por militares, inclusive do Brasil, que sempre mantém tropas no timor leste, para proteger os não-muçulmanos dos muçulmanos a pedido da ONU.

Na Europa atualmente, onde eles já são um grande número em algumas cidades, eles instalaram vários tribunais da Sharia. Em Londres mesmo por exemplo, onde eles conseguiram inclusive eleger um prefeito muçulmanos Sadik Kadin, além dos 37 tribunais da Sharia reconhecidos pelo governo, eles possuem a patrulha da Sharia , uma ronda que vaga pela cidade reprimindo qualquer comportamento não-Islamico como tomar uma cervejinha com algum amigo, ou uma moça voltando do trabalho pra casa sem usar véu e assim por diante. E um detalhe, é que essas pessoas reprimidas pela patrulha são Ingleses e não muçulmanos.



Bairros muçulmanos na Europa, nem a polícia ou serviços de emergência como os bombeiros podem entrar. Seus líderes afirmam com todas as letras que estão trabalhando para impôr a Sharia em toda a Europa e que a Europa toda vai se tornar Islamica. Basta ver no youtube eles mesmo falando isso. O que mostra que o Islã não é apenas uma religião.



Na Europa inclusive, devido essa expansão Islamica, judeus de todos países estão fazendo Aliá, retornando para Israel, pois tem aumentado os ataques, o anti-semitismo, e durante os protestos Islamicos eles gritam publicamente "morte aos judeus".



Jesus disse certa vez que uma árvore se conhece pelos frutos. Então por todo esse contexto nós conhecemos bem o islã. Uma religião que doutrina suas crianças a odiarem judeus e não muçulmanos para perpetuar para as gerações seguintes o fundamentalismo Islamico:



Os muçulmanos acreditam que a Sharia é um meio para tornar a humanidade melhor, mais correta e mais decente, através de leis rigorosas e punições severas. Mas o ser humano é falho e sempre erra. Errou com a lei de Moisés que mandava apedrejar, errou com a advertência de um inferno de Jesus e erra mesmo sabendo das punições da Sharia, porque são humanos.

Reformadores muçulmanos tem surgido nos últimos anos e percebido isso, e arriscando suas vidas para tentar reformar o Islã.





Por fim, o Islã é anti-cientifico. Toda religião em excesso inclusive atrapalha o avanço cientifico, vide a idade média quando a igreja proibia estudos de heliocentrismo, ou recentemente que a mesma é contra pesquisas de células tronco por exemplo. Ciência e religião infelizmente dificilmente andam juntas. Um religioso crê tanto em seus livros sagrados que acaba atacando a ciência quando esta refuta seu livro sagrado. Um exemplo claro são os imbecis terra planistas que acreditam mesmo em pleno século XXI que a terra é plana porque a bíblia diz que é. E por falar nisso vários Imãs muçulmanos dizem o mesmo sobre a terra e que o heliocentrismo é uma farsa porque o Alcorão diz assim.



Na verdade o Islã contribuiu muito pouco em termos científicos para a humanidade, e justamente por isso. Por ser uma religião extremamente fundamentalista, rejeita e combate qualquer argumento que não esteja de acordo com o Alcorão, o que dificulta seu progresso cientifico. Nem mesmo as bombas que os terroristas explodem são criações deles, quem inventou a pólvora foram os Chineses e quem deu uso bélico para ela foram os Europeus. Se os muçulmanos tivessem conquistado todo o mundo conhecido na época das cruzadas como eles queriam, provavelmente hoje não teríamos aviões, automóveis, internet, nada. Estaríamos todos presos em uma eterna idade média.

Os judeus apesar de serem minoria no mundo foram os que mais contribuíram cientificamente para a humanidade em todos os campos da ciência, sendo inclusive um quarto dos ganhadores de prêmios nobel, porque o judaísmo exige estudo e não crença. Mesmo na idade média os judeus iam contra a igreja e criavam coisas cientificas. A maioria dos judeus são inclusive seculares, porque ser judeu não é bem ser da religião judaica, mas pertencer a um povo. Freud era ateu por exemplo. Einstein agnóstico e assim por diante....

Agora imagine um Einstein muçulmano tentando criar uma teoria da relatividade por exemplo ou tentando provar que a terra não é o centro do universo sem ir contra o alcorão! Seria improvável!



O Islã exige orações cinco vezes ao dia. Isso é uma maneira de psicológicamente enraizar o máximo que puder a pessoa na crença. A repetição prende o fiel. O induz a acreditar cegamente sem questionar. Somando a isso o medo e a intimidação eles conseguem ser uma religião forte expansiva e indissolúvel. Que não contribui em nada para a humanidade, mas mesmo assim forte.


Os cristãos, no Brasil e no mundo perdem muito tempo brigando entre si, sobretudo os evangélicos. Os evangélicos no Brasil inclusive, alguns gostariam de fazer aqui uma Jihad gospel, foram os que já fazem por conta própria. E enquanto eles perdem tempo com isso, com ódios e picuinhas infantis, eles vão perdendo espaço para essa religião forte que esta abraçando o mundo. Alguns evangélicos até admiram o Islã porque eles não tem imagens como os católicos. Mas se eles soubesse o real significado da palavra idolatria não pensariam assim.

Na verdade eles mesmos não durariam em um mundo Islamico!

Essa bobagem gospel que esses "pastores" incurtem na cabeça das pessoas de que imagens é idolatria e que os fiéis gentios devem seguir obrigatoriamente a lei dos judeus nesse ponto só gera ódio. Note que a raiva gospel é bem semelhante a raiva Islamica. Qualquer pessoa que tenta forçar entrada em uma aliança que não é sua fica assim atormentada e irada. "Deus proibiu de fazer imagens seus idólatras malditos!" Qualquer dia vou escrever sobre isso.

Se o Brasil fosse gospel ou muçulmano não teríamos nem o Cristo redentor no Rio de Janeiro porque para eles seria idolatria. O estado Islamico chegou ao absurdo de destruir relíquias arqueológicas da humanidade por terem sido feitas por povos pagãos, ignorando todo o estudo arqueológico e histórico feito. Imagine uma dessas duas crenças dominando o Brasil então.

Jesus disse que aquela geração de judeus do primeiro século seria destruída por ser má e incrédula. ! Nós não vemos em nenhum momento do novo testamento Jesus acusando os judeus de não cumprirem a lei, mas de serem MAUS naquela época! O Talmud diz o mesmo, diz que aquela geração do primeiro século era uma exímia cumpridora da lei, mas era má e perversa, Má. Eles tripudiavam uns dos outros e riam-se das desgraças alheias e não se amavam. O Talmud chega a dizer que o pai Abraão apareceu antes de sua queda intercedendo pelo povo e Deus lhe disse: Abraão, eu não vou puni-los por violarem a lei dessa vez, mas por serem MAUS, odiosos e raivosos! MAUS.

E é isso que o evangélico e o muçulmano não entendem nem a pau, nem desenhando e nem se o próprio Deus vier explicar-lhes: Não adianta seguir algumas leis dos judeus, não ter imagens de escultura mas serem MAUS. Não adianta ter templos sem imagens como as igrejas evangélicas ou as mesquitas, mas explodir milhares de fiéis gritando Alah é grande ou sair agredindo adeptos de outras religiões. Não adianta achar que esta uma lei que nem pra você era e sair invadindo terreiro e agredindo e até matando pais- de santo. Isso é ser MAU! Por isso tanto o velho quanto o novo testamento dizem: "MISERICÓRDIA QUERO E NÃO SACRIFÍCIOS" MISERICÓRDIA OK

Vejam a parábola de Jesus do publicano e do pecador, ou do evangélco/islamico e do secular. O religioso dizia: "Eu sou um cumpridor da lei, dou meu dizimo, e não sou um pecador idolatra como este católico aqui" Mas quem agradava mais a Deus segundo a parábola?

Ou no julgamento final que jesus disse que separaria os bodes e as ovelhas. Ele separaria por crença? Por pertencerem a uma determinada religião? Ou , pelo tive fome e me deste o que comer?

Por isso eu não sou Islamico. Eu como agnóstico, prefiro mil vezes mais um mundo católico onde as pessoas tenham milhares de imagens mas se amem, do que um mundo vazio cheio de regras e de pessoas vigiando pessoas 24 horas por dia esperando o próximo pecar para lhe atirar pedras! Gerações inteiras já foram destruídas por isso, e se nós aprendemos algo com o passado, eu tiro isso como lição. Melhor uma geração cheia de erros e pecados humanos mas que se ajuda, se ama e se apóia, do que uma geração hipócrita que se odeia e que odeia a tudo e a todos que não segue os mesmos preceitos que você.


Paz a todos!

domingo, 12 de março de 2017

Cristãos de esquerda? Origem satânica do comunismo


artigo de: MidiaSemMascara.org

Quem inventou o comunismo? Karl Marx e Friedrich Engels? Engano! Esta é uma mentira que todos repetem. Marx e Engels foram apenas os lançadores do comunismo, em 1848, com o famoso manifesto, escrito por Marx, baseado em um rascunho de Engels.

O comunismo nasceu antes disso. Seu verdadeiro criador foi o quase desconhecido Moses Hess, guru tanto de Marx quanto de Engels, que os converteu, separadamente, ao novo credo.

Moses Hess ( nome real Moritz Hess, um judeu apóstata, 1812/1875), ficou conhecido como o primeiro dentre os “jovens hegelianos” a admitir ser um comunista. Ele representava em Paris, de 1842 a 1843, o jornal radical Rheinische Zeitung (Gazeta do Reno), quando conheceu Karl Marx e, depois, Friedrich Engels. Depois de doutrinados por Hess, Marx e Engels se conheceram em Paris e, após muitos entendimentos, lançaram o Manifesto Comunista.

Segundo o pastor romeno Richard Wurmbrand, prisioneiro dos comunistas por quatorze anos, autor de vários livros, Moses Hess, antes de proclamar-se comunista, praticava ritos satânicos, particularmente a Missa Negra (vide “Marx & Satan”, Living Sacrifice Book Co;1986, ISBN: 0891073795).

Existem várias versões da Missa Negra, entretanto, todas são praticadas por marginais que não se integraram na sociedade ocidental e que a praticam como uma manifestação de sua rejeição aos princípios da civilização ocidental.

Vejam o que declarou o autor do artigo, para que não digam que estas verdades aqui descritas partem de crenças religiosas:

 Mas o que interessa é o que pensam os praticantes dos ritos satânicos. Eles acreditam em Deus e no diabo, porém, como inimigos dos cristãos adoradores de Deus, veneram Satan e fazem os mais apavorantes rituais para demonstrar sua rejeição aos que chamam “a elite dominante” ou, como Marx preferia chamá-los, os “burgueses”.

A Missa Negra é uma paródia obscena da missa católica, objetivando obter poderes mágicos, geralmente com objetivos pérfidos. É o ritual mais impressionante dos ritos satânicos e dramatiza uma radical adoração do mal e uma rejeição absoluta dos valores judaico-cristãos. O que é considerado o “BEM” para a Civilização Ocidental”, para eles é considerado o “MAL” e vice-versa.

Na Missa Negra fazem tudo ao contrário. O crucifixo é exibido de cabeça para baixo e o símbolo do demônio é o pentagrama, ou seja, a estrela de cinco pontas, em cor vermelha, cor do sangue, símbolo do inferno, morada do demônio . Na missa negra o Padre Nosso é rezado de trás para diante. A imagem adorada, em vez de Jesus, é a do diabo. As roupas rituais são pretas e vermelhas e o avental do “sacerdote” exibe o demônio, sob a forma de um bode, com chifres e sangue escorrendo da boca. Praticam o batismo com água suja e a mesa da missa é substituída por uma mulher nua e a vagina é o tabernáculo, onde se coloca uma hóstia roubada de alguma igreja. Em vez de música sacra toca-se o tipo de barulho chamado “heavy metal” ou semelhante. Desnecessário dizer que drogas são consumidas abundantemente.

Observe no vídeo abaixo como os comunistas substituem a palavra Deus no pai nosso:



Horrendas orgias sexuais são praticadas, freqüentemente com sacrifícios de crianças, simbolizando a eucaristia, quando bebem seu sangue e comem sua carne. “Shemhaforash’ é a palavra mágica para encerrar a orgia. Ficou famoso na História um certo Barão Gilles de Rais, marechal francês, que foi julgado e condenado pelo sacrifício de mais de cento e quarenta crianças, em rituais de Missa Negra, no Século XV. No entanto, até hoje, inclusive no Brasil, missas negras são praticadas, mesmo com sacrifícios de crianças, como às vezes são noticiadas pela mídia. Claro que a maioria das missas negras jamais são descobertas.

Pouquíssimas pessoas conhecem a importantíssima influência satânica de Moses Hess sobre Marx e Engels. Segundo o pastor Wurmbrand, ambos, antes de estudarem economia, iniciaram-se nos mistérios do satanismo, por meio de Moses Hess. Depois, se conheceram em Paris e iniciaram uma associação duradoura, que viria a mudar o mundo e fazer do Século XX o mais sangrento e conturbado de toda a História da Humanidade.

Recentemente, o assunto chamou-me a atenção porque o prefeito petista (eufemismo para “comunista”) de Belo Horizonte inaugurou uma obra pública e, inacreditavelmente, fez dentro da mesma uma espécie de altar a um demônio conhecido como Javna, guardião do portão dos infernos, que, segundo a lenda, durante uma semana por ano, rouba dos jovens a energia vital para garantir sua imortalidade.

estrela vermelha simbolo dos partidos comunistas 
A inauguração deste templo satânico faz muito sentido. Satanismo e comunismo comungam com a mesma idéia, pois ambos rejeitam os valores morais da civilização ocidental. A palavra de ordem, de Lênin é conhecida: “quanto pior, melhor”. Uma confissão descarada de satanismo.


Torna-se evidente que Marx e Engels, ambos graduados em satanismo, após longas lucubrações diabólicas, chegaram a uma versão light do culto ao demônio, sob o fraudulento nome de “COMUNISMO”, capaz de confundir e atrair milhões de pessoas, inclusive intelectuais de nomeada. Bernard Shaw, Sartre, Saramago, Hobsbawm, Niemeyer, etc., caíram no conto do “comunismo” e se transformaram em sacerdotes do satanismo, dentro da safada política vermelha de cooptar inocentes úteis. No Brasil, comunistas entre a burritzia brasileira, incluindo as universidades, são legiões.

A mesma estrela vermelha na Venezuela País onde
todo o povo esta fugindo da fome e míseria
Conforme bem definiu o Pastor Wurmbrand, “O COMUNISMO NÃO PASSA DE UMA FACHADA PARA O SATANISMO”, tornada palatável com uma série de baboseiras criadas por Marx, como “luta de classes”, “mais valia”, “materialismo histórico”, “ditadura do proletariado”, “justiça social”, “estado final de perfeito comunismo” e outra idiotices.

Na prática, como autêntico regime satânico, que adora o mal e não o bem, o comunismo representou o regime mais cruel e retrógrado de toda a história da humanidade, responsável pela tortura e morte de quase duzentos milhões de pessoas no século passado, além de retumbante fracasso financeiro e destruição do ambiente em dezenas de nações.

O comunismo-satânico foi a maior desgraça que jamais atingiu a humanidade, embora, para enganar os trouxas, só fala em “paz”, “justiça social” e outras mentiras.


Olha a justiça social na Venezuela o que causou:



No Brasil, agora em poder da esquerda, ou seja, dos adoradores do mal, pelo menos desde a fraudulenta constituição de 88 a criminalidade tem crescido exponencialmente, pois não existe “vontade política” para combatê-la, devido à inversão dos valores. Agora os bandidos são heróis satânicos! O MST, por exemplo, uma organização paramilitar, proibida pela constituição, age com a maior desenvoltura, com todo o apoio do governo, inclusive financeiro e o presidente até exibiu na cabeça o boné vermelho do MST, posando para a mídia.

O pentagrama, símbolo do satanismo, do PT e do comunismo internacional, encontra-se até entronizado no jardim do Palácio do Planalto. Enquanto isso, o Ministério Público, “defensor da sociedade”, que parece também contaminado com a inversão dos valores, enfia a cabeça na areia, como avestruz e finge que não vê a atividade criminosa do MST, incluindo quase duas mil escolas ensinando terrorismo e satanismo, sob o disfarce de marxismo. Seus heróis são os maiores e mais cruéis assassinos da história: Lênin, Stálin, Mao Tsé-tung, Guevara, Fidel Castro.

Como convém aos adoradores de Satan, o governo, sob a proteção do pentagrama satânico vermelho, está até desarmando a população honesta, para facilitar o trabalho dos bandidos. Alguém já teve notícia de algum bandido devolvendo a arma ao governo?

Tenho um conhecido comunista que saltou e dançou de alegria quando desabaram os prédios do World Trade Center, quando morreram quase três mil pessoas (mais do que em Pearl Harbor) e um certo ex-frei, paladino da “Teologia da Libertação” lamentou que não fossem 25 os aviões utilizados nos atos de terrorismo pois, segundo ele, se morressem mais americanos, “melhorariam as condições das favelas do Rio de Janeiro”. Estas manifestações demonstram como o comunismo/satanismo é uma patologia mental gravíssima. Comunistas perdem toda a sensibilidade para com o sofrimento alheio, a ponto de Stálin ter declarado que a morte de milhões de pessoas não passa de mera estatística. Todo comunista é um “serial killer” em potencial.

Qualquer lugar que chega esse regime só gera o mal
Dois dos maiores assassinos de todos os tempos, Hitler e Stálin, parecem ter perdido toda a sensibilidade para com o sofrimento alheio devido a traumas pessoais. A sobrinha de Hitler, a grande paixão de sua vida, suicidou-se para livrar-se do monstro. Hitler vingou-se na humanidade. A primeira mulher de Stálin também se suicidou, com as mesmas conseqüências.

Sob os auspícios do Ministério da Educação, o satanismo há muito chegou às salas de aula. O ensino dos valores judaico-cristãos foi substituído pelo marxismo, um disfarce do satanismo. Os grandes heróis nacionais, tais como o grande Duque de Caxias, são esquecidos, e bandidos como Lamarca, Marighela, Prestes, Olga Benário, Guevara, Fidel Castro, são exaltados.

Os marginais dos anos sessenta, que tinham por objetivo entregar o Brasil a União Soviética, além de implantar a mais cruel ditadura e dizimar os patriotas, cometeram assaltos, seqüestros, assassinatos, torturas, propaganda maciça enganosa e, em vez de serem submetidos à corte marcial, por traição à Pátria, estão ocupando altos cargos na Nomenklatura petista e recebendo, por seus crimes, recompensas que já se aproximam dos dois bilhões de reais. Alguns chegaram até a ministros… da Justiça!

A inversão de valores desencadeada pelo comunismo satânico saturou de tal forma a sociedade que atingiu até as artes. Tanto na música popular quanto na erudita, com poucas exceções, a chamada música e pintura modernas, em minha opinião, em vez de produzir prazer estético, produzem apenas repugnância e perplexidade ante a decadência dos costumes. Agora, a arte, em vez de cultivar o belo, exalta o horrendo! Parodiando Lênin, diríamos que, agora, quando mais feio, mais lindo!

Após o fragoroso fracasso da União Soviética, em associação com o caquético ditador comunista Fidel Castro, assassino de milhares de patriotas, os comunistas do Brasil e de muitos outros países resolveram ressuscitar na América Latina o “Império do Mal” (a União Soviética), realizando anualmente o Foro de São Paulo. A primeira etapa seria conquistar a presidência do Brasil. Missão cumprida. Em seqüência, o governo, impregnado dos ideais satânicos, além de desarmar a população honesta, quer controlar a mídia, o cinema, os livros didáticos (doutrinação satânica) e breve toda a produção intelectual. Principalmente depois de receber seu luxuoso avião de 150 milhões de reais, Lula continuará a viajar pelo mundo organizando um novo eixo do mal, contra os Estados Unidos, conforme denunciou Constantine Menges, tão prematuramente falecido.

Porém, parece que o mais perigoso covil onde se abriga, no Brasil, os mais peçonhentos representantes do comunismo satânico são as Comunidades Eclesiais de Base, que parecem ser a mola propulsora de TODOS os movimentos comunistas do Brasil, desde o PT e a CUT até as invasões dos bandidos disfarçados em “sem-terra”.

Aliás, a Igreja Católica, no Brasil, em quase sua totalidade, parece ter-se bandeado para as hostes do mal, o que não seria de estranhar, pois todos eles já foram excomungados automaticamente, segundo proclamação, de 1949, do papa Pio XII, aplicável a todos aqueles que, DE QUALQUER MANEIRA, ajudarem movimentos comunistas.

Breve encontrão o demo, cara a cara, de acordo com suas crenças. Não é à toa que tantos católicos estão se bandeando, cada vez mais, para denominações protestantes e evangélicas. Já que o Brasil está perdido, querem, ao menos, salvar a alma…

artigo de: MidiaSemMascara.org

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...