terça-feira, 6 de setembro de 2011

Jesus não foi filho biológico de José?

Anunciação do anjo
A concepção virginal do messias tem sido por séculos um dos dogmas mais polêmicos e controversos do cristianismo. Os primeiros cismas que houveram na igreja foram justamente devido a este delicado tema. A teologia cristã durante séculos defendeu a virgindade perpétua de Maria e o nascimento concebido pelo espirito santo. O judaismo, por outro lado, sempre defendeu que Yeshua (Jesus) não poderia ser o messias a partir dessa premicia. As profecias eram claras ao dizer que o messias deveria nascer da semente (Raiz) de David, ou seja ser um descendente direto e biológico de David.

"PORQUE brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará" Is 11-1

"Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra" Jr 23,5

"Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e os teus companheiros que se assentam diante de ti, porque são homens portentosos; eis que eu farei vir o meu servo, o RENOVO" Zc 3,8

E sendo Yeshua filho do espirito santo, portanto, não sendo filho biológico de Yosef (José), ele não poderia ser o messias prometido sendo que não nasceu do semen (origem da palavra semente) de José. Isso sempre foi um dos principais motivo da recusa dos judeus em aceitar que Yeshua foi o messias. O judaismo espera até hoje o messias prometido e no conceito judeu o messias será um homem, filho de uma relação sexual entre um casal, o que não é nenhum pecado é até obrigatório praticamente, não será um Deus, e provavelmente casará e terá descendentes. Este é o conceito judaico acerca do messias.

A palavra messias, mashiach em hebraico significa literalmente Ungido. Alguém que D'us unge para uma missão ou para profetizar sua palavra. A palavra ungido não significa literalmente um deus ou semi-deus, mas alguém ungido por D'us. vemos exemplos em várias partes do Tanach que vários foram chamados de Ungidos, desde os sacerdotes até gentios:

"Se o sacerdote ungido pecar para escândalo do povo, oferecerá ao SENHOR, pelo seu pecado, que cometeu, um novilho sem defeito, por expiação do pecado."  (Levítico 4 : 3)

"ASSIM diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações diante de sua face, e descingir os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão."  (Isaías 45 : 1)

"Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas."  (Ezequiel 28 : 14)

"Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra."  (Zacarias 4 : 14)

Como vemos, a  palavra ungido tem uma definição diferente no judaismo. O fato do messias ser um ungido, não implica no fato dele ter que ter tido uma concepção virginal, como se acaso se ele fosse filho biológico e natural de José e Maria ele não pudesse exercer sua função messianica. Ao contraio, os judeus esperam um messias que nascerá naturalmente e realizará sua missão messianica sem dificuldades. De fato, talvez seja este um dos motivos da rejeição dos judeus, por que talvez o messias que eles esperam tenha vindo exatamente como eles esperam e o messias que nos é apresentado é um tanto modificado através do sincretismo que a igreja romana fez no cristianismo, formando assim  uma religião hibrida e contraditória.

Nos primeiros séculos do cristianismo havia uma seita de judeus que acreditavam que Yeshua foi o messias que acreditavam que Yeshua cumpriu esses requisitos messianicos.Esses eram os ebionitas.

Os ebionitas
Os ebionitas foram condenados como hereges gnósticos pelos "pais" da Igreja Romana por não aceitarem a doutrina de que Jesus 'é' o Filho literal de Deus.Os escritores católicos antigos, chamados pais da igreja, escreveram a respeito dos ebionitas, e descreveram as crenças e as práticas dos ebionitas.Pelos escritos dos pais da igreja, vemos que os ebionitas diziam o seguinte:

1) É necessário obedecer a todos os mandamentos da Lei de Deus, inclusive ao mandamento de fazer a circuncisão.
2) Os gentios que se convertem a Deus devem fazer a circuncisão, e devem obedecer a todos os mandamentos da Lei de Deus.
3) Jesus Cristo não é Deus.
4) Jesus Cristo foi gerado por José.
5) Paulo de Tarso foi um apóstata da Lei e um herege, e não foi um verdadeiro apóstolo de Jesus Cristo.
(opinião não compartilhada pelo autor deste blog)
6) As Escrituras Sagradas são somente o Tanach (Antigo Testamento) e o texto autêntico do Evangelho segundo Mateus.

Este evangelho usado pelos ebionitas às vezes era referido pelos pais da igreja com o nome de “Evangelho segundo os Hebreus” (Eusébio de Cesaréia, História Eclesiástica 3:27:4 e Epifânio, Contra as Heresias, 29:9), ou como “Evangelho segundo Mateus” (Irineu, Contra as Heresias, 1:26:2 e 3:11:7), e é referido por algumas pessoas com o nome de “Evangelho segundo os Ebionitas”.

O ebionismo é a forma original de cristianismo, que existia antes que surgisse a influência de Paulo.

Vemos no livro de Atos dos Apóstolos que no início do cristianismo todos os cristãos eram judeus, e praticavam o judaísmo, obedecendo a todos os mandamentos da Lei de Deus (Torá), inclusive ao mandamento de fazer a circuncisão (Gênesis 17:9-14 e Êxodo 12:48-49 e Levítico 12:3), e que em um certo momento Paulo de Tarso começou a dizer que os gentios que se convertem a Deus não precisam fazer a circuncisão (Atos 15:1-3).

O trecho Atos 15:1-3 mostra duas doutrinas opostas: A doutrina dos que tinham vindo de Jerusalém, que diziam que os gentios que estavam se convertendo a Deus tinham que fazer a circuncisão, como Deus ordenou, e a doutrina de Paulo, que dizia que eles não precisavam fazer a circuncisão.

Portanto, devemos julgar entre estas duas doutrinas, para vermos qual delas é a doutrina certa.

Como o livro de Atos dos Apóstolos foi escrito por um seguidor de Paulo, chamado Lucas, o autor do referido livro procura dizer que Pedro, Tiago e os demais apóstolos e anciãos concordaram com a doutrina de Paulo. No entanto, vemos em Gálatas 2:11-21 que Pedro e Tiago não concordaram com Paulo.Os ebionitas são aqueles que os teólogos católicos e protestantes, ou evangélicos, chamam de judaizantes, ou legalistas.

No entanto, é necessário notar que antes do surgimento da doutrina de Paulo, todos os cristãos (ou nazarenos) eram judaizantes, ou legalistas, pois eram judeus e obedeciam a todos os mandamentos da Lei de Deus. Isto fica bem claro em Atos 21:20, onde consta que todos os cristãos eram judeus e eram zelosos da Lei (Torá).

"E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor, e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zeladores da lei" At 21,20

Quando os paulinos (seguidores de Paulo) se tornaram numerosos, eles passaram a chamar os verdadeiros cristãos de “ebionitas”.Os paulinos consideram hereges os ebionitas. Mas será que os ebionitas estavam totalmente errados ou eles eram os verdadeiros cristãos?

A concepção virginal
A idéia de concepção virginal do messias e a idéia de um messias-deus não parece ser original do judaismo. Na verdade, vemos em mitologas pagãs de séculos antes de cristo esse conceito presente em seus messias solares. A idéia de uma concepção virginal e milagrosa parece ter sido inserida nos evangelhos para agradar aos adeptos das religiões pagãs e atrair mais membros para o cristianismo.

A primeira evidência que notamos esta em um acréscimo no evangelho de Lucas que diz:

"E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Heli,"Lc 3,23

O versiculo em parenteses, como se pensava, não existe nos manuscritos gregos, portanto,foi inserido pela prórpria igreja posteriormente. Então podemos concluir que Jesus era de fato filho biológico de José. No evangelho segundo Mateus onde diz: "E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus" (Mt 1,25) também parece ser um acréscimo. Isso fica evidente quando comparamos esta alegação com o escrito do próprio apostolo Paulo:

"Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne,"
Rm 1,3

Paulo é claro ao dizer que o messias nasceu da descendência de Davi segundo a carne e não segundo o espirito. Confirmando assim um dilema sobre Yeshua ter sido o messias ou não. Talvez tivesse sido muito dificil para os pais da igreja, gentios convertidos, acostumados com o paganismo e com um panteão de deuses, entender o conceio de messias dos judeus. Talvez eles não entendessem como um messias podia ser um homem e não um Deus. Vejamos o que João diz em sua epistola:

"E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo."  1Jo 4,3

Como vemos, João parece descrever ja em sua época, pessoas que não afirmavam que o messias viera em carne, mas de alguma outra forma. Como os pais da igreja que afirmavam que Yeshua só poderia ser um messias se tivesse vindo de uma concepção virginal pelo próprio espirito santo. Aliás, como Yeshua pode ter sido concebido pelo espirito santo se só recebeu o espirito santo no batismo:

"E, logo que saiu da água, viu os céus abertos, e o Espírito, que como pomba descia sobre ele" Mc 1,10

Os pais da igreja tiveram essa dificuldade de compreensão da natureza do messias devido a ele ser o filho de D'us.Yeshua foi o primogênito de Elohim e ja existia no principio, antes da formação do mundo (Cl1,15) e foi constituido filho de Elohim pelo próprio D'us, como vemos em hebreus:

"Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai,  E ele me será por Filho?" Hb 1,5

A idéia messianica, ou de um ungido, ja era uma idéia pré-concebida antes da fundação do mundo como vemos em colossenses ou em hebreus. Mas isso não implica nessessariamente em uma concepção virginal. O fato é que o messias veio em carne, da descendência de Davi. e era isso que os ebionitas pregavam. Mas talvez para os pais da igreja, para Yeshua ser o messias e divino, deveria ter sido nessessario uma concepção virginal e miraculosa, como vemos em messias solares dos povos pagãos. Vejamos alguns relatos dos primeiros séculos acerca do nascimento do messias que estava sendo divulgado. A seguir um relato de trifão o judeu e Justino um dos pais da igreja:

Trifon, o judeu, argumenta contra Justino no II século

  "E novamente Trifão disse: “Aqueles que afirmam que ele foi um homem, e foi ungido por eleição, e então se tornou o Cristo, parecem me falar de forma mais plausível do que você, que crê naquelas opiniões que expressa. Pois nós todos esperamos que o Cristo seja um homem [nascido] de homens, e Elias o ungirá quando ele vier. Mas se este homem parece ser o Cristo, ele deve certamente ser conhecido como homem [nascido] de homens; mas como Elias ainda não veio, eu deduzo que este homem não é ele [o Cristo]”.
Mas Cristo [Messias], se ele realmente nasceu e existe em algum lugar, é desconhecido, nem mesmo sabe quem é, e não tem poder até Elias vir ungi-lo, e fazê-lo se manifestar a todos. E vocês, tendo aceito um relato sem base, inventaram um Cristo para si, e pela causa dele estão imprudentemente perecendo.”

No dialogo com Trifão, o mesmo Justino faz seu parceiro falar em termos que mostram como a concepção virginal podia constituir motivo de zombaria para os judeus:

  Nas fábulas dos que chamamos de gregos, diz-se que Perseu nasceu de Danai, que era virgem, depois que aquele que, entre eles, se chama Zeus tinha se derramado sobre ela em forma de ouro. Vós deveríeis se envergonhar ao contar as mesmas coisas que eles, e seria melhor dizer que esse Jesus foi um homem entre homens, e demonstrar pelas Escrituras, que ele é o Cristo, que fi julgado digno, por causa de sua vida perfeita e conforme a lei, de ser escolhido como Cristo. Mas faleis de prodígios, se não quiserdes ser acusados de tolos como os gregos.
A primeira figura histórica mais próxima de Jesus que tinha reputação de ter sido gerado por um deus é Platão, o gigante entre os filósofos gregos, que era considerado “não o filho de Aríston, mas de uma visão que se apresentou a Anfictiônia (a mãe de Platão) na forma de Apolo” (Orígenes, citando Celso em Contra Celso 6,8). A lenda recontada por Celso afirma ainda que antes do nascimento de Platão, “Aríston (seu pai) foi impedido de manter relações sexuais com sua mulher até que ela desse à luz a criança que fora gerada por Apolo” (Orígenes, ibid. 1,37) - um curioso paralelo com a observação de Mateus, segundo a qual José não “conheceu” Maria enquanto ela carregava Jesus em seu ventre (Mt 1,25).

A profecia de Isaias
A igreja também sustenta esta tese baseada em uma profecia de Isaias que diz:

"Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel" Is 7,14

Mas ai encontramos dois problemas. Primeiro é que a palavra original da profecia de Isaias é "Almah" que significa jovem e não virgem, como geralmente as biblias traduzem. Como ja foi dito, não existe nenhuma profecia messianica que diz que o messias deveria nascer de uma concepção virginal. Segundo é que esta profecia não é messianica, é um sinal que Deus prometeu ao rei acaz. Basta ver o contexto que vemos claramente isso:

"E continuou o SENHOR a falar com Acaz, dizendo: Pede para ti ao SENHOR teu Deus um sinal; pede-o, ou em baixo nas profundezas, ou em cima nas alturas. Acaz, porém, disse: Não pedirei, nem tentarei ao SENHOR" Is 7,10-12

Portanto, essa profecia de Isaias parece ter sido inserida no evangelho de Mateus, e baseada em uma tradução errada do termo em hebraico e ignorando o contexto de para quem foi destinada a profecia.

As genealogias
A genealogia de Lucas e a de Mateus parecen ser a de José mesmo, apesar de divergirem. Analisaremos isso posteriormente. Se Jesus não tivesse sido filho de José,  porque os evangelistas fariam questão de descrever sua genealogia? Lembrando que a descendencia sempre foi fundamental no judaismo.
E no caso de Maria, alguns afirmam que o messias deveria ser descendente de David por parte de Pai. Mas e se na familia não houvesse um varão? Acabaria a perspectiva messianica? Yeshua pode ter sido descedente de David por parte de Maria também e isso não invalida nenhuma profecia.

Sendo Jesus nascido de uma judia, e segundo a concepção judaica diz, que judeu é aquele que nasce de mãe judia, então Jesus é um autêntico judeu, filho de uma judia, e descendente de Davi.Geralmente levantam outra objeção: na Tradição judaica, ao se falar das genealogias, geralmente se cita pela paternidade, e não pela maternidade. Então, ao falar para pessoas que possuem essa tradição, fica implícito que é pela paternidade.

Nas escrituras existem diversos exemplos de que essa regra às vezes é quebrada .Você pode ver alguns exemplos em 2Cr 2, mulheres sendo citadas nas genealogias. Assim, a objeção de que as genealogias deve em todo caso ser paternas não procede de acordo com as Escrituras.

As mitologias pagãs
Antes de encerrar este tema, vale a pena lembrar que os messias solares pagãos eram concebidos por virgens e isto pode ter influênciado a formação do cristianismo e de seus dogmas pelos pais da igreja:

Vejamos os exemplo de Devaki, mãe de Krishna:

श्रीमद्भागवतमहापुराणम्
दशमः स्कन्धः
अथ तृतीयोऽध्यायः
तृतीयेऽस्मिन्भवेऽहं वै तेनैव वपुषाथ वाम् ।
जातो भूयस्तयोरेव सत्यं मे व्याहृतं सति ॥ ४३ ॥


Śrīmadbhāgavatamahāpurāṇam 10.3.43 Kṛṣṇá falando à Dévakī: Ó casta mãe, pela terceira vez Eu torno a nascer neste mundo material agora encarnando através de vós. Minhas palavras são Verdade
श्रीमहाभारतम्
आरण्यकपर्वम्
एकनवत्यधिक द्विशततमोऽध्यायः
सूर्य उवाच साधयिष्यामि सुश्रोणि पुत्रं वै जनयिष्यसि ।
सर्वशस्त्रभृतां श्रोष्ठं कन्या चैव भविष्यसि ॥ २५ ॥


Śrīmahābhāratam 3.291.25 À Kúntī o deus sol Sū́rya disse: Eu concederei, ó jovem formosa, eis que darás à luz um filho, o melhor dentre todos os guerreiros, e ainda permanecerás virgem.

श्रीमद्भागवतमहापुराणम्
नवमः स्कन्धः
अथ चतुर्विंशोऽध्यायः
अमोघं देवसन्दर्शमादधे त्वयि चात्मजम् ।
योनिर्यथा न दुष्येत कर्ताहं ते सुमध्यमे ॥ ३४ ॥
इति तस्यां स आधाय गर्भं सूर्यो दिवं गतः ।
सद्यः कुमारः सञ्जज्ञे द्वितीय इव भास्करः ॥ ३५ ॥


Śrīmadbhāgavatamahāpurāṇam 9.24.34
O deus sol Sū́rya falando à Kúntī: Ó jovem formosa, seu encontro com Deus não será infrutífero e, portanto, Eu porei um filho em teu útero. Eu concedo a ti que não sejas maculada. 9.24.35Após ele torná-la fecunda, Sū́rya retornou ao céu. Logo nascera um menino semelhante a um segundo sol.

Portanto, essas e outra mitologias podem ter sido a base para idéia de uma concepção virginal, gerando uma contradição e invalidado Yeshua como messias, sendo que D'us prometeu que ele seria descendente de David. Mas segundo a própria escritura ele foi, nascido em carne, da descendência de Davi. Respeitando os que acreditam na concepção virginal, que cada um avalie por conta própria as escrituras e tire suas conclusões. Mas o fato é que ao compararmos com as narrativas das mitologias pagãs, muito anteriores ao messias, podemos supor que os ebionitas tinham razão.

Video sobre o tema:




Mais: Yeshua e Deus são a mesma pessoa?

Gostou desse blog? Inscreva-se, divulgue ou contribua

Shalom!

9 comentários:

  1. Muito bom o artigo. Mas não concordo com o fato de Paulo ser um apostata. Em Atos ele disse aos seus algozes:
    14 Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas.
    Outro fato é que no livro de atos Paulo circuncida timoteo. Então Paulo nunca foi contra a lei. Paulo era contra o legalismo que existia acerca da lei.

    ResponderExcluir
  2. Anderson,eu concordo com você e também não acho que Paulo foi apostata, tanto que suas epistolas são ótimas.Eu postei no artigo sobre a visão dos ebionitas, mas não reflete a minha, só quis ser imparcial.Até porque o pouco que nós sabemos dos ebionitas, vem dos pais da igreja, portanto não sabemos com exatidão se eles consideravam Paulo mesmo um herege ou se a igreja entendeu assim.

    Obrigado por comentar! Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Graça e paz amado, estou fazendo a tradução das sagradas escrituras, sem a interrupção do latim ou do grego, mas em versões mais coerentes, baseado no que G. Lamsa acreditava que a tradução original se mantinha em forma na biblia peshita e realmente, encontrei uma série de questões interessantes, gostaria de saber se o irmão é de algum ajuntamento, fale-me mais sobre seu credo talvez, tenhamos muito material para compartilhar! descobri muitas coisas que desmente a ficção bolada por Roma, e isso têm me ajudado o entender de forma mais clara o messerot (evangélho) do Reino!!! fique na paz do Senhor Yeshua o Messias!!!

    ResponderExcluir
  4. Mistérios Revelados, Olá irmão! Eu não pertenço a nenhum ajuntamento, mas eu estudo teologia e principalmente história. Quando nós analisamos os fatos, os relatos históricos e a concepção de uma época, nós observamos alguns pontos que não aparecem autênticos, como a concepção virginal de Jesus. Os judeus nunca esperaram um messias que nascesse de uma virgem e não esperam até hj, pois a profecia de Isaias foi um sinal para o rei Acaz. E analisando os relatos do primeiro século, nós vemos que os judeus messianicos defendiam veementemente que o messias nasceu em carne, filho de José mesmo. Baseado nisso e na semelhança com as mitologias pagãs, eu acho que esses judeus messianicos, chamados ebionitas talvez estivessem certo.

    Agradeço pelo seu comentario e gostaria sim que o irmão compartilhasse seus estudos comigo, pois pouco a pouco, estamos cada vez mais próximos do original. Se o irmão tiver algum blog, site ou comunidade, me envie que gostaria muito.

    Fique com Deus! Abraços irmão!

    ResponderExcluir
  5. Ronaldo,quantas profecias são referentes a primeira vida de Jesus?
    Pois Isaías 7:14 nós vemos que é uma sinal para Acaz. Porque era um menino que deveria nascer nesse período no qual Rezim, e peca tentariam tomar a Judá, e o rei da Assíria viria contra eles e não deixaria que Judá fosse tomada.Então o menino era um sinal para Acaz.

    Irmão,nós vemos o cumprimento dessa profecia em Mateus 1,22-23,mas se não refere a Jesus, como diz Mateus que assim se cumpriu a profecia? como entender?pois se dissermos que esse Emanuel é Jesus estaríamos mentindo.Mas se negarmos que não é Jesus,estaríamos fazendo Mateus de mentiroso.E se essa profecia realmente não se refere a Jesus,vai da problemas nas outras profecias não? poderia me explicar irmão?

    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  6. Irmão, desculpe a demora em responder, mas meu computador esta no concerto portanto estou com menos ascesso a internet.
    Eu creio que Mateus não mentiu irmão, porque eu não creio que Mateus tenha escrito isto. A verdade é que nós não temos os autógrafos dos evangelhos, não existem e portanto nós só podemos especular e pesquisar. A história eclesiastica nos diz que alguns seguidores dos messias como os Ebionitas, possuiam um evangelho de Mateus bem menor do que o que nós temos hoje como canonico. E nesse evangelho não constava um nascimento virginal porque Mateus como judeu sabia que não existia essa profecia e que a profecia de Isaias era para o rei Acaz e que a proferia era para uma JOVEM e que já estava concebendo naquela época mesmo. Portanto, eu creio que se há um mentiroso nessa história, não foi nem Mateus e nem Isaias, mas os copistas romanos.

    Quando eu voltar a ascessar poderei argumentar mais se quiser. Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. A palavra "almah" não tem seu significado resumido apenas à palavra "jovem", seria melhor traduzida como "moça solteira", consequentemente, virgem. Em outras ocorrências de almah no A.T., podemos observar que sempre essa palavra se refere a moças jovens ainda não casadas, ou seja, virgens. Portanto, não há nenhuma contradição, visto que Maria era solteira e virgem, ainda prometida para casar com José, quando concebeu Jesus.
    Cuidado ao fazer afirmações de que passagens podem ter sido adicionadas se você não tem nenhuma evidência para fazer tais alegações.
    Esse não é o primeiro dos seus artigos que busca contrariar algumas verdades bíblicas, às quais você chamou de mitos, sem ter havido uma boa pesquisa antes de publicá-los. Seja mais responsável em suas pesquisas, dois minutos no Google eram suficientes para averiguar o significado real de "almah" no contexto do A.T., evitando a criação de um artigo errado, que pode ter confundido a mente de vários cristãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A palavra almah aparece outras vezes no antigo testamento sempre se referindo a jovem, moça solteira, nunca virgem. O mesmo profeta Isaias usou a palavra virgem em outros capitulos. Na verdade ele usou seis vezes o termo Betulah, que significa virgem. Engraçado que ele usou seis vezes esse termo menos nessa profecia!

      O texto de Isaias na bíblia hebraica ainda diz: "Eis que a jovem esta concebendo", concebendo no presente, não conceberás no futuro. Isso tudo é ignorado por teólogos cristãos. A verdade é que o nascimento virginal é um conceito pagão de deuses engravidando mortais, não judeu. Basta ver romanos que Paulo diz: "Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor," Rm 1, 3-4

      Excluir
  8. Shalom irmão Ronaldo meu nome é Kleber sou estudante sobre os assuntos semiticos, sou um pesquisador inclusive gosto de quase tudo que você posta no seu site. Porém eu tenho algumas perguntas a lhe fazer:
    1) Pelo que eu estudei no seu site o nascimento de Yeshua é uma fábula romana concordo totalmente, porém não entendo como você defende tanto a Peshita e a Peshita ainda traz do grego uma citação desse nascimento pagão como fica isso?
    2)Existe alguma peshita que não traga o nascimento pagão?
    por favor mande resposta para kleber.fateffir@yahoo.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...